Fran e Fabi… e a Amarula!

Era uma vez duas princesinhas lindas que eram iguaizinhas… foi assim que eu comecei a sussurar no ouvido das minhas sobrinhas e afilhadinhas Fabi e Fran e, pelo jeito, elas até gostaram!

A avó delas, D. Luzia, correu me contar: – Elas adoram histórias!

Então passei um bom tempo inventando uma (boa?) história sobre duas princesinhas, uma beagle arteira e um sapo falante!

De onde veio o sapo? Oras, os sapos são figuras clássicas nas histórias infantis… ainda são né? Posso estar desatualizada nessa área!

Quer saber, o sapo falante (o grilo fica para outra história!) vai oferecer colo para elas, se elas vierem sem chorar, não precisa nem o beijo… o sapo vira Madrinha! 😉


Fabi e a Amarula! - Por "Madinha"

 

Fran - Por "Madinha"

Dica: para ver as fotos ampliadas, clique nelas!

O Lobisomem… parte I

Olá pessoal… deu trabalho, mas conseguimos nossa “exclusiva” com o lobisomem do arvoredo!!! 🙂

Vou contar como foi para vocês, mas antes devo avisar para as interessadas que não posso passar telefone… nem celular, nem residencial! Muito menos revelar a identidade do modelo, pois ele tem namorada (que é uma moça muito simpática por sinal!) e é muito tímido, ok!

Meu agradecimento especial também aos amigos/padrinhos/vizinhos Célia e Paulo pelo apoio! Sem eles, eu nunca teria pego esse lobisomem pelo chifre! 😉

 

 

O encontro com o Lobisomem!!!


Pouco antes de escurecer, reuni toda minha equipe de caçadores, ou seja, Tio Paulo e eu e, com o Sol baixando no horizonte rumamos para a toca do lobisomem!

Chegando lá, Tio Paulo já anunciou: – Ele não está… a caravam dele não tá aí! (é meus amigos, esse lobisomem anda de caravam envenenada!!!)

Batemos palmas (caçadores ou não, somos seres educados e não iríamos arrombar o lar de ninguém sem antes ao menos batermos palmas, né!) e uma senhora muito simpática surgiu na janela: – Ele foi no mercado! Ela disse… e sem querer nos deu a deixa que precisávamos… esse lobisomem só vai no Condor (Tio Paulo conhece ele bem!), então, fomos pra lá atrás dele… sabíamos que ele esteva fugindo de nós!

Chegando lá, demos uma volta pelo estacionamento a procura da tal caravam e eis que, de longe, o tio paulo avistou-a! Estacionamos ao lado dela  e montamos Tocaia!

continua no próximo post!