Asfalto que brilha…

Desnecessário dizer que, para se conseguir fotos assim, tem de arriscar o pescoço !!! 😀  Os caminhões passavam numa velocidade que o vento produzido por eles balançava fotógrafa, câmera, sobretudo e tudo o mais… Mas valeu a pena! O asfalto na contra-luz da manhã brilhava como se fosse feito de diamantes!

Essas, com certeza, são as estradas que te trazem aqui para FotoLândia, caro passante! Bem-vindo!

 

 

Dica: clique para ver as fotos ampliadas!

Trabalho de verdade…

… foi o que o Professor Luc pediu para minha turma na matéria de Fotografia PB (Preto e Branco, para os passantes não tão íntimos! 😀 ). Ele pediu uma releitura de uma fotografia em PB e até aí, tudo bem! O detalhe: em FILME!

Para quem possa ter pensado: – Ah, não pode ser tão difícil assim! Eu digo: engano seu!

Depois de dois filmes perdidos em duas tentativas com máquinas diferentes, muita ansiedade (afinal, revelar um filme leva um tempinho!), frustação e nervosismo… finalmente joguei o lenço e pedi ajuda profissional! E foi aí que o S. Domingos entrou em ação! Se não fosse a ajuda dele e da modelo favorita aqui da FotoLândia: Célia, esse trabalho não teria saído! Muito obrigada aos dois!

E o resultado de todo esse TRABALHO vocês conferem aqui! Espero que gostem!

 

Foto Original de Juliana Hoppe (Cliquem na foto para irem para o site de Altair Hoppe)

Releitura entregue!

 

 

Mas essa foi a favorita!

 

E uma propagandinha básica, para quem mora em PG: Foto Elite, pessoal! Além de ter a grande experiência do S. Domingos, ainda é o ÚNICO – acreditem, eu procurei! – foto da cidade onde achei filme PB para vender! Vale a pena… na Francisco Ribas, uma quadra antes da Caixa econômica! 😉

Célia e S. Domingos: se não fosse vocês, heim!

O Mercado Municipal de Curitiba!

A agitação, a correria, as cores… a vida do Mercadão Municipal! Sejam bem-vindos.

Mercado Municipal de Curitiba

Mercado Municipal de Curitiba

Mercado Municipal de Curitiba

Mercado Municipal de Curitiba

Mercado Municipal de Curitiba

Dica: clique nas fotos para vê-las ampliadas

Cores…

Atenção passantes: Não! A fotolândia ainda não virou uma cidade fantasma dos filmes de “faroeste”! 😀

Logo logo teremos aqui um ensaio fotográfico feito no Mercadão Municipal de Curitiba! Aguardem e, enquanto isso, fiquem com uma foto alegre, simples e totalmente colorida! Espero que gostem!


Meu primeiro retrato…

… foi da Dona Maria de Lourdes!

Está certo, eu já fotografei rostos antes, principalmente nos books que fiz para amigas, dezenas de vezes! Mas fotografar rostos é uma coisa, fazer um retrato é outra. Pela primeira vez, eu fiz um retrato de verdade. Meio “sem querer querendo” foi assim que aconteceu:

Saímos da escola para tirar umas fotos (novidade! 🙂 ) e fomos seguindo a rua tranquila na tarde quente de domingo. Descemos a rua por cerca de meia hora e começamos a voltar. Eu fiquei para trás e, quando passava por mais uma das muitas casas locais,  uma senhora que estava ao portão me perguntou o que estávamos fazendo.

Eu contei que éramos estudantes de fotografia daquela escola logo ali na frente. E ela me contou que uma moça tinha tirado uma foto dela. Percebi que ela iria gostar de ter aquela foto e me ofereci para descobrir quem havia batido e também para fazer mais uma foto. Ela gostou da idéia, percebi na hora. Passou as mãos pelos cabelos, ajeitando-os, e apoiou o rosto na mão fazendo uma pose.

Foi um momento simples. Eu olhei o fotômetro pelo visor, enquadrei,  ajustei velocidade e abertura e bati a foto.

Foi tão rápido… na hora, só olhei para o LCD para conferir a exposição e mostrar para a Dona Maria de Lourdes como havia ficado. Ela ficou meio na dúvida, mas não quis pedir para eu tirar outra, percebi. E eu também tinha de correr para alcançar os colegas. Anotei o email da filha dela e fui embora.

A grande surpresa veio quando baixei a foto.

Fiquei olhando os cabelos, a mão com as unhas bem feitinhas, o rosto com as marcas da experiência (não é um eufemismo, caro leitor passante, eu quis mesmo dizer experiência ao invés de idade!)… e me peguei pensando se a Dona Maria de Lourdes (nome que eu só descobri depois, trocando emails com a filha dela) sabe quão bonita ela é.

Não é aquela beleza clichê e despersonalizada das revistas e outdoors por aí. É aquela beleza humana do olhar doce, do sorriso leve, da expressão calma… beleza que passa batido no dia-a-dia, que passou batido para mim quando fiz aquele retrato.

Feliz e grande supresa! De todas as fotos, a mais intinstiva foi a melhor. Às vezes, o melhor a fazer é não pensar (embora a engenheira em mim relute muito contra isso! :D) . Às vezes o melhor a fazer é só sentir e se deixar levar. Dona Maria de Lourdes me atraiu como um íman para um retrato que valeu a tarde, o final de semana… não sei não se não valeu o mês, viu!

Obrigada, Dona Maria de Lourdes, a senhora é muito linda!


Dona Maria de Lourdes

O Post sem Foto!

– E aí, como vai o curso?

– Muito bem, obrigada!

ou  ainda…

– Uma delícia, não vejo a hora de chegar o próximo final de semana!

Respostas padrão.

É claro, são encontros rápidos de corredor, de esquina, de mercado. Pergunta gentil para ser educado, resposta padrão para ser simpática!

A resposta certa na verdade é:

– Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!

Eu sei que você, caro leitor passante, não esperava por isso.  Mas eis a realidade!

Esse “ah” tão longo e angustiado é meu desabafo.

Quanto mais aprendo e mais me encanto, melhor percebo quanto estou longe de fotografar alguma coisa! Aprender mais está criando em mim essa consicência (odiosa!) da distância entre o que pode ser e o que é, de fato.

Eu sei que tudo na vida é assim, mas essa pessoa ingênua aqui, teve esperanças de que fosse ser “menos pior” com a tal da fotografia! Sabe-se Deus por quê!

O fato é que, como todo o resto na vida, teoria é uma coisa, prática é outra.

Meu “processo fotográfico” tem evoluído, é claro, com toda essa base teórica e cada vez mais prática, mas no momento, sinto que anda assim:

Penso, penso, penso. Fotografo. Descubro que fiz algo errado. Fotografo novamente. Vejo (pelo pequeno LCD) que o resultado não era bem o que eu queria. Volto a pensar, pensar e pensar. Fotografo de novo. Baixo a foto para o computador. Abro. É LIXO. DELETO.

Desesperador. Você pode até achar que é exagero meu. Mas só acha isso porque não viu meu trabalho de PB (Preto e Branco) da penúltima aula. Reforço: desesperador.

E você pode estar pensando também que estou sendo muito auto-crítica. Aí você acertou! Afinal, não é a cobrança dos professores que me fará crescer, é a minha própria cobrança.

De qualquer maneira, estou brava comigo por não conseguir algo descente ultimamente. E por isso esse post não tem foto. Só escrevo outro post quando conseguir algo ligeiramente próximo de uma fotografia!

Nada. Por Ana Paula Aletto!

Nota: Por favor, nada de comentários piedosos nesse post, poupem essa pobre fotógrafa medíocre de ter de respondê-los com falsas expressões de empolgação e esperança! Grata!

Noturnas n° 01

Atenção Passantes… Teremos uma série de fotos noturnas por aqui na FotoLândia!

Me inspirei nessa foto que fiz ante-ontem a noite e separei mais algumas, novas e antigas, de cenas noturnas deliciosas para vocês aproveitarem! Espero que gostem!

 

Ponta Grossa

No parque…

Algumas fotos feitas no Parque Papa João Paulo II em Curitiba em uma bela tarde ensolarada de domingo! 😀


 

 

Dica: basta clicar para ver as fotos ampliadas!

Os grandalhões do futebol americano!

E era cada cara enOoOoOrme que dava até medo! Eu ficava me perguntando se eles eram mesmo todos grandalhões ou se era aquele uniforme (design provavelmente baseado nas antigas armaduras medievais! 😉 ) que os fazia parecer daquele tamanho!

Eles conversavam bastante entre as jogadas, não faço a mínima idéia do porquê, mas quando jogavam era como se, bem, você esperava um pequeno tremor de terra vindo daquelas trombadas!

Por sorte, e juízo obviamente, estávamos mantendo uma distância segura e fotografando o jogo de longe! Não sentíamos os tremores… não fisicamente! 😀

De repente um dos jogadores veio até nós. Ele estava sem o capacete, mas juro que fiquei esperando ouvir a voz do “Darth Vader”! Que nada… ele veio, gentilmente, nos pedir que lhe enviássemos as fotografias! Muito simpático o Leandro e, pelo jeito, todos os jogadores! Inofensivos apesar da primeira impressão! 😀

Preparar...

 

Ação!

Dica: clique nas fotos para vê-las ampliadas!

Novas participações especiais…

… e pões especiais nisso! Dá só uma olhada nas fotos da Ana Carla e do Fabiano! Babei…

 


Por Ana Carla!

e

 

Por Fabiano

 

DICA: Para ver as fotos ampliadas, clique nelas! 😉

Participações especiais!

Em comemoração ao Dia Internacional das Mulheres: três fotos enviadas por amigas queridas, sem experiência na fotografia, mas com uma grande sensibilidade… sensibilidade tipicamente feminina! Aproveitem!

E quem tem uma foto legal (seja amador ou profissional) e quiser mandar aqui para a FotoLândia, faça contato clicando aqui!

Salto do Apucaraninha - Por Grazi

 

 

Caraguatatuba, Praia de Massaguaçú - Por Manoela

 

 

Emiliano e Joseph sobre a árvore... por Ana Paula Lemos

 

Clique nas fotos para vê-las ampliadas!

Novas estradas para a FotoLândia!

Atenção passantes! Foram criadas duas novas estradas (bem conservadas e sem pedágios! 😀 ) para que você chegue aqui na FotoLândia de forma mais segura e confortável ainda!

Além da estrada orginal, https://anapaulaaletto.wordpress.com, um pouco “complicadinha” para a gente se lembrar, agora pode-se chegar aqui também através de:

lanafotolandia.com (Lá na FotoLândia . com) e

anapaulaaletto.com (Ana Paula Aletto . com).

Com “www” ou  sem “www”, com “http://” ou  sem “http://”! Tudo para descomplicar… Bem mais fácil de lembrar e rapidinho de digitar! 😉

O “city tour” da FotoLândia…

A página de apresentação da FotoLândia está de cara nova e queremos  convidar novatos e veteranos para um “city tour” que os levará pelos mais famosos “posts turísticos” da Terra das Imagens!

Basta clicar aqui e bom passeio…

A FotoLândia agradece!

Caro leitor, a FotoLândia acaba de chegar às 5 mil visitas!


A FotoLândia é um Blog relativamente novo. Teve seu primeiro post publicado em 31 de outubro do ano passado mas já tem atingido a média de 1.200 acessos por mês! Isso nos deixa muito felizes!

À todos os “leitores-passantes” que nos acompanham dia-a-dia passeando por aqui durante seu tempo livre e especialmente aos assinamentes da Gazeta da FotoLândia nosso feliz, MUITO OBRIGADA!


Comemorando 5 mil visitas!

O 1° dia de aula…

… e lá estava eu, sentadinha na minha carteira, caderno aberto e caneta em punho… mas não durou muito!

Em pouco tempo já estávamos para fora da sala fotografando tudo que aparecia e testando os “não-tão-recém-descobertos” controles da câmera! Quer coisa melhor que estudar fotografia numa super escola* que fica apenas duas quadras de distância do “museu do olho”** e do bosque João Paulo II???

Tudo de bom… E ainda aprendi muita coisa nova e fiz muitos amigos!

Aprendi, por exemplo, que marca de câmera fotográfica é algo a ser incluído na categoria “religião, política e futebol”, ou seja, não se discute… Mas que Nikon é melhor que Canon, é fato! 😉

Outra lição: não devo “embananar” os colegas: quanto maior o f-stop, menor a abertura da lente e maior a profundidade de campo! Tá pensando ainda? Não desista! Eu também demorei! 🙂 Quem falou que fotografia não é complicado, heim?!

Ah, e nada de “desfocar o foco”! (Tá bom, Lis! :D)

A lição final: futebol americano é um tédio! Tentamos fotografar uma partida que acontecia no parque atrás do museu. Não entendi porque eles conversavam tanto e jogavam tão pouco… Como se nós não falássemos mais do que fotografássemos também! 😉

E assim foi esse primeiro final de semana… só por favor, pessoal, não vão mostrar esse post para o professor de técnicas básicas (que ficou conosco praticamente todo o final de semana)! Ele vai pensar que de fotografia mesmo, eu acabei não aprendendo nada! E não foi bem por aí…

 

Lis, Letícia e Thaisa - Fotografia: Ana Paula, Composição: idéia do Professor Rafael

 

Dica: clique na foto para vê-la ampliada!

 

* Escola Portfólio! Quer conhecer? Clique aqui!

** Museu Oscar Niemeyer! Clique aqui!

 

Um novo Plebiscito…

… foi aberto! E você, caro passante, pode nos ajudar a decidir!

Como já é costume, três temas que foram sugeridos por leitores foram colocados na enquete! O mais votado será fotografado! E olha que os temas não estão nada fáceis… haja criatividade! 😀

Quem tem sugestão para outros temas pode colaborar registrando-os aqui: Vila dos Desafios!  Quem sabe sua sugestão não ganha nossa próxima enquete!

Agora é só votar e torcer!

 

Veja algumas fotos dos desafios anteriores:

O hobbit

Lobisomen do Arvoredo

Os beija-flores, a janela e a chuva…

Minha amiga Célia já tinha me chamado para ver outro dia mas, por razões puramente domésticas, não pude ir! Ela veio aqui na porta: – Paula! Venha tirar foto dos beija-flores aqui na janela. Com essa chuva eles ficam bem “doidinhos”!

A tal janela, que tem um bebedouro com aguinha doce pros malandrinhos, fica, por acaso, bem em cima da minha! Então hoje, assim que a chuva começou, muni minha câmera com a tele-objetiva e sentei na janela à espera!

A chuva estava bem forte no início, mas quando ela deu uma acalmada, pronto! Lá estavam os danadinhos voando para cima e para baixo, brigando pelo bebedouro… parecia uma pega-pega aéreo!

E que pega-pega… eu é que não conseguia pegar uma foto deles! Mal fazia o foco e já tinham saído voando de novo!!! Mas, com um pouco de paciência (estou exercitando a minha, pois nasci com muito pouco dela! 😦 ) saíram várias fotos! Em uma delas consegui, um tanto de sorte aqui, pegar dois deles se “bicando”! E como brigam esses danadinhos viu! 😀

Espero que apreciem as fotos tanto quanto me diverti ao fazê-las!


Beija-flor na chuva!

 

Beija-flores disputando o bebedouro...

 

Agradecimentos especiais à “Tia” Célia por me chamar atenção para os beija-flores!

Dica: cliquem nas fotos para vê-las ampliadas!

Ligue o Flash!

Se você tem um câmera fotográfica compacta* e não é fotógrafo profissional e nem “entendido” no assunto, caro leitor, ligue o flash! E ligue já! Corra agora pegar sua máquina e descobrir como se faz isso que estou falando sérissimo. 😀

Na nossa enquete sobre quais assuntos interessavam mais aos passantes aqui da FotoLândia, o campeão foi o flash! Eu não achei que ele ganharia! Passei a pesquisar para escrever esse artigo então. Visitei diversos sites, consultei alguns livros e, depois de bastante leitura, percebi que a melhor dica que posso dar para vocês é essa: Ligue o Flash, caro leitor!

Existem, é claro, várias técnicas profissionais e interessntes para se usar o flash da melhor maneira, criar efeitos, rebater, etc, etc e etc. No entanto, para quem não é um usuário experiente e usa sua compacta  no dia-a-dia para registrar os momentos simples e especiais o FLASH DE PREENCHIMENTO (Fill flash) é o que nos interessa.

Vou dar um exemplo bem simples de um erro muito comum que vejo sempre nos orkuts e facebooks mundo virtual a fora! Veja só a foto abaixo:


Sem Flash, a luz da janela "engana" a câmera e deixa o motivo da foto "escuro"!

Nessa foto, da minha cachorrinha Amarula, o fato dela estar contra-luz (na janela) fez com que a foto ficasse “escura”  bem no ponto que nos interessa, ou seja, nela. As câmeras compactas, ou mesmo outros modelos quando selecionado o modo automático, fazem a medição da luz para poderem se “regular” (a própria câmera decide o tempo do obturador, a abertura do diafragama, o ISO, etc) e a luz forte do fundo, nesse caso, confunde a câmera que se ajusta a essa luz mais forte, fazendo com que o obejto da foto saia escuro.

A solução para o seu problema? Ligar o flash! Veja só agora:


Foto com Flash: o motivo da foto saiu nítido mesmo à contra-luz.

Esse truque pode ser usado também em outras ocasiões, como por exemplo, fotos feitas sob a luz do sol. Quando se tenta fazer um retrato de alguém sob o sol forte do meio-dia, por exemplo, as sombras no rosto das pessoas tendem a sair fortes e bem marcadas e são o que o fotógrafos chamam de “sombras duras”. Para criar um contraste, amenizar esse efeito e, consequentemente, suavizar as sombras, basta que você ligue o flash.

Claro, não dá pra esquecer que fotos feitas com flash devem manter alguma distância do objeto da foto, principalmente em casos de câmeras em que se tem pouco controle sobre a regulagem do flash, ou você terá o retrato de uma abdução (um grande clarão de luz! 😀 ) ao invés de um bom retrato! Dê uma certa distância do objeto da foto e use seu zoom óptico (nunca usem o digital, ok!).

E falando em retratos, ao fotografar pessoas, ligue o redutor de olhos vermelhos de sua câmera, pois é um recurso muito útil que atenua o problema quando não o resolve por completo. No mais, editores de fotos “free “e simples de usar terminam de solucionar o problema para você!


E para finalizar selecionei três fotos do acervo da National Geographic, lindíssimas, em que os fotógrafos se valeram do uso do flash! Aproveitem… e liguem seus flashs!


Por April Maciborka

 

Por Margaret Deaner

 

Por Gary Norbraten

* Câmera fotográfica compacta é uma dessas câmeras comuns que temos em casa.