Trabalho de verdade…

… foi o que o Professor Luc pediu para minha turma na matéria de Fotografia PB (Preto e Branco, para os passantes não tão íntimos! 😀 ). Ele pediu uma releitura de uma fotografia em PB e até aí, tudo bem! O detalhe: em FILME!

Para quem possa ter pensado: – Ah, não pode ser tão difícil assim! Eu digo: engano seu!

Depois de dois filmes perdidos em duas tentativas com máquinas diferentes, muita ansiedade (afinal, revelar um filme leva um tempinho!), frustação e nervosismo… finalmente joguei o lenço e pedi ajuda profissional! E foi aí que o S. Domingos entrou em ação! Se não fosse a ajuda dele e da modelo favorita aqui da FotoLândia: Célia, esse trabalho não teria saído! Muito obrigada aos dois!

E o resultado de todo esse TRABALHO vocês conferem aqui! Espero que gostem!

 

Foto Original de Juliana Hoppe (Cliquem na foto para irem para o site de Altair Hoppe)

Releitura entregue!

 

 

Mas essa foi a favorita!

 

E uma propagandinha básica, para quem mora em PG: Foto Elite, pessoal! Além de ter a grande experiência do S. Domingos, ainda é o ÚNICO – acreditem, eu procurei! – foto da cidade onde achei filme PB para vender! Vale a pena… na Francisco Ribas, uma quadra antes da Caixa econômica! 😉

Célia e S. Domingos: se não fosse vocês, heim!

O outro lado…

… dela! 😀 Na verdade, o lado dela que todos conhecemos melhor…

Na FotoLândia novamente: Célia!

 

 

Célia - Por Ana Paula

 

 

 

Célia - Por Ana Paula

 

 

 

Célia - Por Ana Paula

 

 

Fotos ampliadas? É só clicar!

 

Célia, parando o trânsito!

Sem palavras… apenas as imagens! 😉

 

Por Ana Paula

 

Fotografia por Ana Paula - Cabelo e Maquiagem por Ariella

 

Fotografia por Ana Paula – Cabelo e Maquiagem por Ariella


Fotografia por Ana Paula - Cabelo e Maquiagem por Ariella


Fotos ampliadas? Basta clicar!

 


O final do “causo” do atropelamento…

Continuando o “causo”…

Saímos correndo feito loucas. Peguei meu celular e liguei para a polícia que, ao invés de mandar logo o socorro, ficou fazendo perguntas! Caros leitores, sério, fiquei indignada com o tempo que demorou o socorro e com aquele policial que me atendeu, que sossego enquanto o pobre atropelado sangrava lá na nossa frente! Isso nos lembrou quando precisamos dos bombeiros no prédio onde moramos! Mais de 15 minutos para chegar! Até eu, a pé, teria chegado antes! E o prédio pegando fogo!

Continuando, o “rapagão” que dirigia, primeiro ficou preocupado com o carro para, só depois, se preocupar com o atropelado. Conversando com ele descobrimos que  já tinha perdido a carteira por excesso de multas! E estava dirigindo!!! Preciso comentar mais alguma coisa sobre o motorista?

Foi quando, no meio de toda essa loucura, o atropelado resolveu que iria se levantar e ir embora. E eu falando ao celular e dizendo para o moço ficar no chão e não se mexer, a Célia enterrada, de salto alto, naquela mal podendo se mexer e a pobre Ariella carregada com o equipamento e a maquiagem feito um burrinho de carga!

E o atropelado querendo sair correndo! Haja paciência!

Outra indignação aqui: nesse momento já tinha uma meia duzia de curiosos ali em volta. Todos homens. Mas fui eu quem teve de segurar o rapaz atropelado no chão, vocês acreditam? Caros leitores, quando os homens desse mundo ficaram, com o perdão da expressão, tão “bundões” assim? E não foi só aqui, nesse dia e incidente não, infelizmente “está” em todo lugar! Não vou nem perguntar onde está o cavalheirismo, vou perguntar onde está o bom senso e a boa educação mesmo!

Se você leitor, é homem, faça-me um favor: seja um homem. Dê seu lugar à uma pessoa idosa ou mulher com criança. Ajude alguém a carregar a mala ou sacola pesada. Acuda uma pobre fotógrafa e ajude-a a acalmar o acidentado e a fazer com que ele não se levante!

Voltando ao incidente… Pode ser que o rapagão tenha atropelado o rapaz porque estava olhando para nossa sessão de fotos? Pode sim. Mas o “isulfilm”, tão escuro quanto a noite, que ele tentou arrancar do carro antes mesmo de socorrer o atropelado não melhorou sua visibilidade, garanto. Além do quê, se você está dirigindo, nem que seja uma sessão de fotos para a Playboy, sua obrigação é olhar para a frente e prestar atenção.

O atropelado estava todo ensanguentado (e eu também à essa altura!) e uma das suas pernas tinha um belo “rombo”! Pensamos até que as pernas estivessem quebradas e pelo estrago no carro não entendemos como é que ele não estava era morto! Mas insitiu em se levantar e foi embora. Assim simplesmente… Aqui cabe uma nota: ele não cheirava a álcool, mas não estava em condições normais e isso era bem perceptível!

À essa altura suspiramos: aonde foi que a gente se meteu viu!

Depois de tudo isso, é claro, o rapagão que dirigia o carro também foi embora. Quando terminamos a sessão, vimos que a polícia o havia parado, um pouco para a frente do local do acidente. Não sabemos se realmente sabiam que era ele que tinha atropelado o rapaz ou se só o pararam por causa do estrago no carro, que ele já estava dirigindo novamente, diga-se se passagem.

Ficamos com vontade de parar e falar para polícia o que sabíamos, mas é claro que achamos melhor não falar nada, afinal, sabe Deus quem é esse rapaz. Infelizmente, tivemos de ser prudentes!

De qualquer maneira está aí a receita para um assasino no trânsito: irresponsável, inconsequente e, bem possivelmente, sem nenhuma punição. Enquanto ele não matar alguém não vai sossegar.


O atropelamento - Por Ana Paula

O “causo” do atropelamento…

A Célia (#amiga, #madrinha, #vizinha) queria tirar umas fotos legais! Já fazia tempo que tínhamos combinado, mas nunca dava certo! (Somos ocupadíssimas, claro! 😉 )

Finalmente conseguimos combinar que seria na sexta, no finalzinho da tarde. O tempo estava perfeito! Havia chovido, o ar estava límpido… Perfeito para fotografar!

A brux… ops, a Ariella (#amiga, #vizinha e, como você leitor já sabe, #falsa-fada 😀 ), deu um “trato” na nossa amiga e lá fomos nós para o local das fotos!

Aí começou o problema!

Nossa amiga já é bonita, toda arrumada então, estava de “parar o trânsito”…. literalmente! Nada esperto da nossa parte irmos fazer as fotos perto de uma rodovia não é mesmo! Argumentação: o lugar é lindo, com uma vista DI-VI-NA e as fotos ficariam maravilhosas lá… e ficaram mesmo (para provar vejam a foto no final desse post!)! Mas insisto: nada esperto! Um mulherão daqueles, naquele lugar, não podia dar certo!

Paramos o carro um pouco para a frente do local das fotos, ligamos o pisca-alerta e lá fomos nós!

Mal tínhamos começado (nem dez fotos ainda e, se parece muito leitor, conto que nessa tarde fizemos mais de quatrocentas ao todo!) quando, enquanto eu tentava ensinar a Célia a fazer um “biquinho” para a foto ( 🙂 ), ouvimos um belo e estrondoso: – POWWWWW!

– Ai, acertaram meu carro! Foi a primeira coisa que pensei…

Mas não foi. A Ariella, que estava mais atrás de nós, chegou a ver o rapaz voando!


Fotografia por Ana Paula - Cabelo e Maquiagem por Ariella

Continua no próximo post…