Pancho, o gatinho… e sua turma!

Pancho e Amarula

Pancho e Amarula

 

 

Pancho

Pancho

 

 

Pancho

Pancho

 

 

Pancho

Pancho

 

 

Pancho? Rudolph? ;-)

Pancho? Rudolph? 😉

 

 

Pancho

Pancho

 

 

Dori

Dori

 

 

Pancho

Pancho

 

 

Amarula, Pancho e Dori

Amarula, Pancho e Dori

 

 

Pancho e Primavera

Pancho e Primavera

 

 

Pancho e Primavera

Pancho e Primavera

 

 

Pancho e Primavera

Pancho e Primavera

 

 

Amarula

Amarula

 

 

Amarula

Amarula

 

 

Pancho

Pancho

Anúncios

Dupla exposição!

Dupla exposição é tirar duas fotos no mesmo quadro ou, uma por cima da outra, por assim dizer. Mas o mais importante a dizer é que “experimentar” muitas fotos com esse recurso é para lá de divertido e os resultados sempre são, no mínimo, interessantes!

Pouquíssimos modelos de câmeras digitais dispõe desse recurso que pode ser feito via photoshop, no entanto… mas daí, qual é a graça né? Já se estiver disposto a “encarar” uma câmera analógica, existem muitos modelos baratinhos (como a minha La Sardina, por exemplo) com o recurso disponível e simples de usar! É pura diversão…

 

Divagações analógicas…

Tudo começou quando ganhei um câmera Yashica J – pasmem, da década de 60! Toda manual, um charme… –  do meu bom amigo e colega de trabalho, Robinson. Era para eu fazer um trabalho para o curso e era para ser feito em película, ou seja, nosso velho amigo filme. Na época, testei a câmera mas o filme saiu virgem… foi uma decpção! Mas eu tinha o trabalho para fazer e mais toda a correria do curso… acabei deixando a câmera de lado.

O curso terminou e eu lembrei da pobrezinha abandonada lá no armário. Quem diria que um pequeno parafuso poderia fazer tanta diferença! A câmera agora funciona! Não como antigamente, claro, muitas fotos não saem pois as velhas palhetas do obturador estão um pouco “enferrujadas”: as vezes não abrem, as vezes não fecham! 😀 Mas as fotos que saem ficam… bem, ficam assim!

 

 

Rio Tibagi

 

 

 

Rio Tibagi

 

 

 

Ladeira do Paredão

 

 

 

Ladeira do Paredão

 

 

 

Tibagi

 

 

E podem aguardar que muitas outras fotos analógicas vem por ai!

Agradecimentos mais que especiais ao Robinson, pela câmera mais que charmosa e especial, e ao S. Domingos que, com sua experiência, me ajudou a desvendar os mistérios da Sra. Yashica J e colocá-la de volta “na ativa”-  aliás, sua primeira câmera fotográfica foi uma dessas!

PS: clique nas fotos para vê-las ampliadas.

PS 2: Filme utilizado, Ilford P&B, ISO 100.

Vôo de Balão!

Tudo começou na madrugada que tinha o toque especial de ser aquela com a maior lua cheia do ano! Para ajudar nem fez frio como estava fazendo nesses últimos dias. Nada de névoa e nada de vento. Em outras palavras, foi a manhã perfeita para um vôo de balão.

A diversão já começa na montagem do equipamento. Além de não desgrudarmos os olhos da equipe que trabalhava, ainda entramos dentro do gigante colorido enquanto ele estava sendo inflado! Parecia bem menor quando eu via aqui do chão… 🙂

A decolagem é tão suave que mal se sente. De repente você olha para baixo e vê que está subindo… e subindo… e subindo! A vista é linda e o passeio, indescritível. No final, depois da aterrissarmos em uma chácara do outro lado da cidade: café da manhã e brinde com espumante. O brinde, nos explicou o piloto, é uma tradição histórica que eles fazem questão de preservar!

Parabéns a empresa Air Company, reponsável pelo passeio, e a Taiana e aos outros organizadores que trouxeram a empresa, de Campo largo, aqui para PG! Foi perfeito!

 

Maior Lua Cheia do Ano!

E começa a tomar forma…

E esquenta…

Olha só o tamanho!

O Sol nascendo em Ponta Grossa…

Subindo… atravessamos as nuvens!

E o Sol foi um show a parte!

Não resisti e coloquei duas fotos porque esse momento foi espetacular!

Voltando para baixo das nunvens. Outro momento incrível foi o sol iluminando a cidade por frestas nas nuvens. No centro da foto a torre da Catedral de PG!

Se afastando da cidade…

Pousamos em um chácara… fiquei amiga desse cavalo depois! 😀

 

Atendendo a pedidos…

… colocamos aqui na FotoLândia a foto que andou fazendo o maior sucesso no FaceBook!

 

Amarula, a beagle voadora!

 

PS: Me sinto na obrigação de informar que ela adora isso tá! A cara de “pobre coitada” é apenas a genética resultante da evolução e servia para que a gente acreditasse que eles eram um coitadinhos, ficássemos com dó e lhes déssemos comida (quanto mais cara de “coitado”, maiores a chances de sobreviver e se reproduzir, capitaram? 😉  ) sem saber que dentro desses, supostamente, doces cachorrinhos moram monstrinhos bagunceiros, destruidores  e arteiros que adoram brincar de “voa na cama”!  😀

Vila Velha, finalmente!

Máquina fotográfica só, não! Ainda levei a tiracolo: marido, pai e mãe! 😀  Afinal, morando há praticamente cinco anos em Ponta Grossa (Paraná) era uma vergonha que eu ainda não tivesse ido conhecer o Parque Estadual Vila Velha!

Devia ter ido mais cedo…

 

Vila Velha

 

 

Vila Velha

 

 

Vila Velha

 

 

Vila Velha

 

 

Vila Velha

 

 

Dica:  quem quiser visitar o Parque, que fica a 15 minutos de carro de Ponta Grossa e, de Curitiba a 1hora e meia, pode ver mais informações clicando aqui!

Dica 2: como sempre, clique nas fotos para vê-las ampliadas.